O que é e como usar borracha de silicone

Borracha de silicone é o nome dado à borracha sintética à base de silicone, facilmente encontrada em lojas especializadas em fibra de vidro e resinas. É vendida a quilo, e seu preço já inclui o catalisador, que vem em forma pastosa.

Pode ser diluída em óleo de silicone 100%, porém nunca ultrapassando 10% do volume da borracha, sob pena do produto não se catalisar, ficando pegajoso.

Caso queira a mistura mais fluida, faça a diluição antes do preparo.

Preparação

1 – Use somente recipientes de vidro ou metal, pois alguns tipos de plástico são difíceis de limpar mais tarde.

2 – Use de preferência um recipiente marcado em mililitros — becker, bureta, medida de cozinha etc. — , e coloque a quantidade de borracha que usará. Caso vá diluí-la, desconte o volume do óleo de silicone. Por exemplo: — Para 100 ml, coloque 90 ml de borracha e 10 ml de óleo.

3 – Acrescente 10% do volume em catalisador — no exemplo anterior, serão 10 ml —, e misture tudo muito bem.

4 – Derrame a borracha sobre a peça a ser copiada, devagar, para que a massa preencha todos os detalhes.

5 – Aguarde 24 horas até a vulcanização total, caso contrário a borracha não terá resistência física adequada ao uso. Lembre-se: — Quem tem pressa come cru — e, no nosso caso, perde tempo e dinheiro. Colocar ao sol ou no forno, não resolve, pois não se trata de secagem, mas de reações químicas, onde o calor excessivo atrapalha.

6 – Quando forem feitas fôrmas sobrepostas (meia-peça), aguarde a vulcanização total da parte inferior, e passe uma camada fina — porém sem falhas — de vaselina pastosa sobre ela, antes de derramar a parte superior. Isto evitará que uma peça (molde) se funda com a outra, e mais tarde ajudará na separação das duas peças.

7 – Os utensílios usados poderão ser limpos após o uso, com papel; e após a vulcanização, puxando a película inteiriça de borracha.

Outras dicas

A – Passe uma camada fina de talco na fôrma, antes de derramar metais fundidos. Isto auxiliará o escorrimento do metal e protegerá a fôrma.

B – Estude bem a peça, para ver onde será feita a injeção do metal, abrindo alguns canais finos para a saída do ar. As extremidades exteriores destes canais deverão estar no mesmo nível do cone de injeção, pois se forem laterais o chumbo sairá por eles, não preenchendo a fôrma totalmente.

C – Use solda chumbo-estanho 60/40, ao invés do chumbo puro, pois este solidifica muito rapidamente, não dando às vezes tempo do ar sair. Além disso, o estanho oferece à peça maior resistência física. Esta solda é usada por bombeiros hidráulicos, e é encontrada facilmente em lojas de ferragens.

Fonte: vfco.brazilia.jor

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.